No ar agora

Title

Artist


Presidente do Atlético-MG explica demissões e mira R $ 60 milhões de economia até o fim do ano

Written by on 22/05/2020

Assim como a maioria dos clubes do Brasil, o Atlético-MG passa por uma grave crise financeira em função da pandemia e, para sobreviver, tem medidas drásticas. Além de cortes salariais e atrasos, o clube também tem feito demissões ( que já chegaram à marca de 50 funcionários ). Nesta sexta-feira, em entrevista à Rádio Itatiaia , o presidente Sérgio Sette Câmara comentou os desligamentos e fez uma previsão de economia com essas e outras medidas: de R $ 50 a R $ 70 milhões até o fim do ano .

– É um momento muito difícil para todos nós que estamos vivendo. Você vê grandes empresas fazendo várias demissões para passar por esse período de crise. O Atlético não é diferente e também tem que sobreviver. Infelizmente, com muita dor no coração, estamos tendo que fazer demissões para podermos passar por esse período. Quem sabe mais adiante, em uma situação de melhoria financeira, (podemos) recontratar alguns desses colaboradores. Mas infelizmente isso (demissões) tem que ser feito. Dói muito, mas é minha obrigação estar em frente ao clube e gerenciar essa crise com todo cuidado e olhando sempre, em primeiro lugar, ou no lado do clube.

“As demissões e a conseqüente redução na folha salarial não são o único item que Existem vários outros cortes que estão sendo feitos no clube para reduzir as despesas. Nosso objetivo é obter, não restaura este ano, um corte no torno de R $ 60 a R $ 70 milhões “- Sérgio Sette Câmara.

Grande parte dos funcionários que trabalham commitidos na parte administrativa do clube, com salários muito menores, recebidos por atletas. Por que não salvar na folha salarial do time? Sérgio Sette Câmara explicada.

– O carro chefe do clube é o futebol. Ele é uma razão de ser do nosso negócio. Quando o futebol vai bem, se soubermos administrar com zelo, isso também irá resultar em resultado financeiro do clube. Você vê os clubes que recentemente tiveram sucesso em campo, o Atlético-PR, Grêmio e Flamengo, também tiveram sucesso nos seus cofres, com muitas receitas. Para pessoas buscar receitas, precisaremos de títulos. Temos que focar no nosso futebol. Ali temos que fazer os maiores investimentos, para quem pode ter esse retorno financeiro que permite ao clube respirar. Essa é uma ideia.

Athletico-PR teve sucesso dentro e fora do campo nas últimas temporadas – Foto: REUTERS / Diego Vara

O mandatário alvinegro também rechaçou qualquer interferência política na escolha dos profissionais demitidos. Vale lembrar que o Atlético tem eleições presidenciais marcadas para o próximo mês de dezembro. Sérgio Sette Câmara será candidato à reeleição.

– Absolutamente (nenhuma motivação política). O critério foi muito simples: preservamos os funcionários que tiveram as menores e, obviamente, tivemos que cortar alguns que tiveram as altas e até os valores praticados no mercado para uma função que exercer. Foi tão uma adequação. O critério foi fundamental e não teve nenhum tipo de política política.

“O Atlético não vai cruzeirar”

Quando questionado sobre uma dificuldade que o clube tem recebido por pagar até esses colaboradores que não recebem valores altos, Sérgio Sette Câmara voltou a falar sobre receitas interrompidas em função da recessão registrada pela Covid – 14, mas garantimos que as soluções encontradas, que vêem uma “luz no fim do túnel” e que o Galo não vai “cruzeirar “, em referência a grave crise vivida pelo rival Cruzeiro.

– Não deve ser segredo para ninguém que esteja vivendo uma crise. Tem bancos aí de grande porte demitindo 10, 10, Mil pessoas. E continua faturando. Imagina aqueles casos, como o nosso, que não temos absolutamente nenhuma receita. Não existe mágica. (…) Claro que isso reflete em uma dificuldade em honrar os pagamentos. Mas nós estamos buscando soluções. E como pessoas, colaboradores do clube, que entendem que esse é um momento de dificuldade e sacrifício. Se não fosse, não estaríamos nem demitindo como pessoas – disse.

Atlético-MG vive grave crise financeira, mas o presidente vê “luz no fim do túnel” – Foto: Bruno Cantini / Atlético

– O que posso dizer é que temos trabalhado muito, junto com o diretoria, para encontrar soluções ou quanto antes e pagar os preços que estão atrasados. Acredite que tem essa compreensão de todos. (…) Ficamos dois anos e dois anos atrás, porque falamos que austeridade foi, e foi o que tivemos dentro da situação do clube, que já estava com uma dívida negativa. Estamos identificando, vamos tentar fazer uma reestruturação com auditorias contratadas. Enfim, temos muitas dificuldades, neste momento, para honrar como folhas de pagamento. Mas isso não é novidade, quase todos os clubes do Brasil estão passando por isso também. Acredite que no nosso caso temos uma luz no fim do túnel, por isso estamos trabalhando muito, para quem pode estar normalizando esse fluxo de pagamento nos próximos dias – concluído.

” Estamos vendo centenas de empresas fechando, quebrando. E aqui isso não vai acontecer, estamos longe disso. O Atlético não vai ‘cruzar’. Estamos longe disso. Aqui tem responsabilidade “- Sérgio Sette Câmara.

Por fim, o presidente atlético deixou uma mensagem otimista à torcida.

– Mensagem de esperança, de que vamos passar por esse momento de dificuldade. A diretoria do clube tem trabalhado muito para buscar soluções. Eu tenho certeza que eu conto com a compreensão dos nossos profissionais neste momento. E, principalmente, com uma compreensão e apoio da torcida. Vamos tentar fazer alguns tipos de atividades e promoções. Quero crer que a torcida do Atlético, como sempre, vai comparar e nos ajudar. Se Deus quiser, em breve vamos estar juntos de novo vendo uma bola rolar, para nossa alegria.

36382257472Consulte Mais informação


Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *



Open chat
Olá. Envie-nos mensagem pelo whatsapp